Blog

Segunda, 31 Agosto 2015 10:43

Psicoterapia

Escrito por
Avalie este item
(267 votos)

Quando buscamos um psicólogo, ou quando recebemos indicação para algum tipo de tratamento psicológico, devemos estar atentos e solicitar que o profissional nos instrua de forma prática sobre o tipo de psicoterapia que ele pratica.

 Existem diferentes tipos de psicoterapias e a Terapia Cognitivo-Comportamental, ou terapia do pensamento, ou Terapia Racional, é um tipo de psicoterapia que trabalha com a comprovação de que nossas emoções são produzidas por nossos pensamentos.

 

Você mesmo pode e deve perguntar ao psicoterapeuta, em que consiste a psicoterapia, quanto tempo vai durar e que resultados ele poderia prever.

A psicoterapia deve servir para que as pessoas se fortaleçam emocionalmente e a arte do psicólogo cognitivo-comportamental está em ensinar as pessoas a pensarem de outra forma, ou seja, de forma mais funcional e racional, através de métodos e técnicas.  

As pessoas com uma mentalidade mais racional consideram que as adversidades da vida não são o fim do mundo ou uma catástrofe.

Lembre, não existe mágica. Existe trabalho e esforço, pois pensamentos são hábitos e como todos os hábitos vão adquirindo força ao longo dos anos.  Devemos entender que existem coisas ruins que nos acontecem, mas que não são o fim dos tempos.

Vamos melhorar e nos tornar fortes emocionalmente, quando estivermos convencidos de que podemos desfrutar praticamente, de qualquer circunstância que a vida nos oferece, quando estivermos abertos às diferentes possibilidades positivas e quando mudarmos nosso diálogo interno. É importante entender que queixar-se não leva a nada, é improdutivo e disfuncional.    

Uma pessoa emocionalmente forte, com grande tolerância a frustração, está convencida de que não necessitamos muito para viver bem.

Levar uma vida saudável e administrar os próprios problemas é melhor do que buscar falsas soluções.

Ler 4911 vezes Última modificação em Segunda, 01 Junho 2020 14:47
Andréa Gonçalves

Dra. Andréa Gonçalves

(Graduada em Psicologia e Doutora em Ciências da Educação) - CRP nº. 11.428

Mais nesta categoria: Aprender a tolerar a frustração »