Blog

Segunda, 31 Agosto 2015 13:20

Lidando com a família

Escrito por
Avalie este item
(984 votos)

A família é algo que, na maioria das vezes, nos acrescenta muitos valores e costumes, nos dá carinho e nos ajuda. Porém, para algumas pessoas, a família está relacionada a cumprir com certas obrigações que, em muitos casos,  passam a ser um tormento.

Os principais problemas, relacionados à família, que vemos nas consultas psicológicas são as obrigações familiares e a ajuda mal entendida.

 

As obrigações familiares envolvem desde festinhas de comemoração de algo ou de alguém, como por exemplo, aniversários, seja de tios, avós, sobrinhos, bem como os almoços intermináveis. Inclui ainda a ceia de natal e outras comemorações. Muitas vezes não queremos participar, e se não vamos vira um tema familiar e de discussão.

A ajuda mal entendida é aquela que ao final virou obrigação. Devemos ajudar os outros com muita cautela, inclusive os familiares. Se na verdade a pessoa que estamos ajudando pode fazer por si só, então não estaremos ajudando.

As responsabilidades estão sendo confundidas com a ideia de ajuda. Por exemplo, acordar os filhos para irem ao colégio ou os pais ajudarem em tarefas escolares que os filhos podem fazer sozinhos. As tarefas e a obrigação de despertar é do filho não dos pais. Não estaremos ajudando se cada um não se responsabilizar naquilo que lhe compete fazer.

Podemos aprender a lidar com a família de uma forma diferente, sem obrigações e de forma mais racional.

A primeira coisa que devemos ter em mente é que não precisamos de ninguém para vivermos bem e sermos felizes. O segundo ponto é ter claro que se algum familiar (seja um pai, irmão, primo, tio..) não vale apena estar com ele, simplesmente não esteja. Não devemos nos relacionar com uma pessoa por obrigação somente pelo fato de ser um familiar. O terceiro ponto é entender de uma vez que a vida é muito curta para termos tantas obrigações absurdas que nós mesmos acabamos nos impondo.

Devemos manter um equilíbrio, optar com quem queremos nos relacionar cuidando para não nos tornarmos hipersensíveis  às falhas dos outros. Podemos conviver com familiares difíceis, para nosso crescimento pessoal, não por obrigação. O convívio com pessoas difíceis pode nos propiciar mais paciência, tolerância e flexibilidade.

  • Podes te relacionar com quem queiras.
  • Não faça nada por obrigação.
  • Não podemos fazer feliz ou infeliz a alguém. 
Ler 5927 vezes Última modificação em Quarta, 10 Abril 2019 12:43
Andréa Gonçalves

Dra. Andréa Gonçalves

(Graduada em Psicologia e Doutora em Ciências da Educação) - CRP nº. 11.428